Publicado por: bomportugal | 11/02/2012

Rota dos vinhos do Dão

A Rota dos Vinhos do Dão, foi criada em 20 de setembro de 1995 e inaugurada em 1998 com 17 aderentes (adegas cooperativas, casas e quintas vitivinícolas). Atualmente conta com 35 aderentes.

As castas utilizadas nesta região demarcada são:

Tintas: Touriga Nacional; Jaen; Rufete; Alfrocheiro preto e Aragonês.

Brancas: Encruzado; Bical (Borrado das moscas); Cercial e Malvasia fina (Arinto do Dão).                                    

Como as vinhas estão escondidas pelos pinheiros, pelas giestas, pelos silvados, ou mesmo por muros, para as descobrir à que partir à descoberta.   O percurso da viagem segue por serras e povoados, por caminhos de montanha ou por ruas de vilas históricas, pelas estreitas veredas dos montes ou pelas margens dos rios. 

Percorremos cidades e aldeias, vilas e lugares, ermos sem nome ou castros de nobreza antiga. Andamos por terras de Penalva, de Tábua, de Santa Comba; espreitamos os recantos de Aguiar da Beira, de Fornos de Algodres, de Gouveia; detemo-nos em Carregal do Sal, em Arganil, em Mangualde; vamos a Nelas, Oliveira do Hospital e a Tondela.

Provamos o vinho em quintas ou adegas atrás de austeras fachadas entre brasões e cantarias. Depois, não há duas quintas iguais e cada uma é um universo definido.                                                                                                                                                                                                                                                      

A zona do Dão situa-se na região da Beira Alta, no centro Norte de Portugal. As condições geográficas são excelentes para produção de vinhos: as serras do Caramulo, Montemuro, Buçaco e Estrela protegem as vinhas da influência de ventos. A região é extremamente montanhosa, contudo a altitude na zona sul é menos elevada. Os 20000 hectares de vinhas situam-se maioritariamente entre os 400 e 700 metros de altitude e desenvolvem-se em solos xistosos (na zona sul da região) ou graníticos de pouca profundidade. O clima no Dão sofre simultaneamente a influência do Atlântico e do Interior, por isso os Invernos são frios e chuvosos enquanto os Verões são quentes e secos.
                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                           


Responses

  1. Boa zona, esta regiao do Dão. Boa gente, bom vinho e muito boa gastronomia.


Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

Categorias

%d bloggers like this: